cultura

sexta-feira, 23 de março de 2012

O Degustador de vinhos


Numa loja de vinhos, o degustador havia falecido eo proprietário começou a buscar alguem que fizesse o trabalho.


Um oficial piloto da Marinha, bebado e velho se apresentou para solicitar o lugar.


O proprietário se perguntava como podia livrar-se dele.


Então deram um copo de vinho para ele tomar. O velho piloto provou e disse, “É um Moscatel de tres anos, elaborado com uvas colhidas na parte norte da região, guardado em um barril de carvalho. É de baixa qualidade porém aceitável.


“Correto”, disse o chefe.  “Outro copo por favor.” É um cabernet, de 8 anos, com uvas colhidas nas montanhas ao sul da região,  guardado em barril


de carvalho Americano a 8 graus de temperatura. Ainda faltam uns tres anos para que alcance sua mais alta qualidade.”


“Absolutamente correto.  Um terceiro copo.”  “É um champanhe elaborado com uvas pinot blanc de alta qualidade e exclusivas” disse calmamente o bebado.


O proprietário não acreditava no que estava vendo e fez um sinal com os olhos para sua secretaria e pediu a ela que fizesse algo. Ela saiu da loja e regressou com um copo de urina.


O “abebum” provou e... disse: “É de uma ruiva de 26 anos de idade, com tres meses de gravidez e se não me derem o emprego, já digo quem é o pai!"

Manuel e a loira


Manuel entrou num bar cerca das 20:00. Escolheu um lugar junto de uma loira esplendorosa e olhou para o aparelho de TV, no momento em que começavam as notícias do dia. A equipa de reportagem cobria a notícia de um homem que estava prestes a atirar-se do alto de um enorme edifício.


A loira voltou-se para o Manuel e disse:
--- Você pensa que ele vai saltar?
Manuel respondeu:
--- Eu aposto que ele vai saltar.
A loira respondeu:
--- Bem, eu aposto que não vai.
Manuel pôs uma nota de 20,00 na mesa e exclamou:
--- Vamos a isso…!


Logo que a loira colocou o seu dinheiro na mesa, o homem atirou-se, morrendo no embate com o solo.
A loira ficou muito aborrecida, mas entregou-lhe a nota de 20,00.
---Aposta é aposta... é justo... Aqui está seu dinheiro.


Manuel respondeu:
--- Eu não posso aceitar o seu dinheiro. Eu vi o incidente anteriormente nas notícias das 18 horas. Eu sabia que ele ia saltar.


A loira respondeu:
--- Eu também, mas eu nunca pensei que ele o faria novamente.
       Manuel pegou no dinheiro e saiu

sexta-feira, 16 de março de 2012

A cantada de James Bond


James Bond entra em um bar e se senta ao lado de uma dessas gatas incríveis
que só aparecem em seus filmes.


Olha para ela e para o seu relógio.


Ela lhe pergunta:


- Está esperando alguma garota que está atrasada?


- Não, responde Bond. Me deram este relógio High Tech e o estou
experimentando.


- Ah, sim! E o que ele tem de especial? - Pergunta a mulher.


- Ele usa ondas alfa e gama para enviar mensagens diretamente para a minha
mente.


- E o que ele está indicando agora? - Pergunta ela, intrigada.


- Ele me indica que você está sem sutiã e sem calcinha.


A garota sorri e lhe diz: 


- Então seu relógio não funciona, pois estou vestida com as duas peças.


James Bond sacode seu relógio, lhe dá umas pancadas e diz: 
- Me desculpe, é que esta merda está adiantada meia hora!!!

sábado, 10 de março de 2012

BEBER VINHO SÓ PARA QUEM CONHECE

Consta que, certa noite, anos atrás, um homem entrou com a namorada no restaurante Lucas Carton, em Paris, e pediu uma garrafa de "Mouton Rothschild", safra 1928.

O sommelier, em vez de trazer a garrafa para mostrar ao cliente, traz o decanter de cristal cheio de vinho e, depois de uma mesura, serve um pouco no cálice para o cliente provar.

O cliente, lentamente, leva o cálice ao nariz para sentir o aroma, fecha os olhos e cheira o vinho.

Inesperadamente, franze a testa e, com expressão muito irritada, pousa o copo na mesa, comentando rispidamente:

- Isto aqui não é um Mouton de 1928!

O sommelier assegura-lhe que é. O cliente insiste que não é.
Estabelece-se uma discussão e, rapidamente, cerca de 20 pessoas rodeiam a mesa, incluindo o chef de couisine e o gerente do hotel, que tentam convencer o intransigente consumidor de que o vinho é mesmo um Mouton de 1928.
De repente, alguém resolve perguntar-lhe como sabe, com tanta certeza, que aquele vinho não é um Mouton de 1928.

- O meu nome é Phillippe de Rothschild, diz o cliente modestamente, e fui eu que fiz esse vinho.

Consternação geral.

O sommelier então, de cabeça baixa, dá um passo à frente, tosse, pigarreia, bagas de suor escorrem da testa e, por fim, admite que serviu na garrafa de decantação um Clerc Milon de 1928, mas explica seus motivos:

- Desculpe, mas não consegui suportar a idéia de servir a nossa última garrafa de Mouton 1928. De qualquer forma, a diferença é irrelevante.
Afinal, o senhor também é proprietário dos vinhedos de Clerc Milon, que ficam na mesma aldeia do Mouton. O solo é o mesmo, a vindima é feita na mesma época, a poda é a mesma e o esmagamento das uvas se faz na mesma ocasião, o mosto resultante vai para barris absolutamente idênticos. Ambos os vinhos são engarrafados ao mesmo tempo. Pode-se afirmar que os vinhos são iguais, apenas com uma pequeníssima diferença geográfica.

Rothschild, então, com a discrição que sempre foi a sua marca, puxa o sommelier pelo braço e murmura-lhe ao ouvido:

- Quando voltar para casa esta noite peça à sua namorada para se despir completamente. Escolha dois orifícios do corpo dela muito próximos um do outro e faça um teste de olfato. Você perceberá a sutil diferença que pode haver numa pequeníssima distância geográfica.

quarta-feira, 7 de março de 2012